10 de set. de 2020

11 de Setembro

Cronologia do 11/9

Os fatos mais importantes que antecederam os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Diante deles, a alegação do governo norte-americano – que nada sabiam sobre os ataques – não passa de uma grande mentira. Mesmo diante das fortes evidências, nossa mídia amestrada não ousa tocar no assunto, e insiste caracterizar qualquer questionamento como mais uma teoria conspiratória.

Fevereiro 2001

– Existiam dúzias de alarmes por parte dos serviços secretos afins, como dos alemães, franceses, russos e israelenses, os quais indicavam um ataque terrorista. Foi alertado principalmente por estes serviços que aviões seriam utilizados contra importantes símbolos americanos. O mais tardar desde março 2001, a CIA estava informada.

Março 2001

– Membros da unidade especial “Abel Danger”, a qual desde 1999 acumula informações sobre o terrorismo fora dos serviços secretos e recrutara agentes até de dentro da rede “Al-Kaida”, receberam ordens para não proceder com atividades anti-terroristas. Segundo depoimento do tenente-coronel Anthony Shaffer diante de uma comissão do Congresso e de outros quatro integrantes desta operação, “Abel Danger” tinha descoberto o ataque de 11 de setembro, assim como Mohamed Atta e três outros “seqüestradores”. Diante de seus superiores lhes foi proibido revelar ao FBI seu conhecimento do ataque iminente e a unidade especial foi dissolvida. A comissão 9/11 ignorou completamente este conhecimento prévio e possibilidade de evitar os atentados. Aparentemente tudo foi executado previamente pelos “superiores” para que ninguém pudesse evitar o ataque e posteriormente foi camuflada a cumplicidade dos ocupantes dos andares superiores.

– O enviado russo na ONU entrega um relatório detalhado ao Conselho de Segurança da ONU sobre Bin Laden, sobre sua rede, onde ele se encontra e como são suas ligações com serviços secretos, como o paquistanês.

Abril 2001

– O antigo especialista em segurança da Casa Branca, Richard Clark, responsável pelo antiterrorismo, fornece repetidamente avisos sobre o iminente ataque terrorista através de Bin Laden. Todavia, estes foram ignorados pelo governo, estavam cientes, mas os avisos foram classificados como “sem urgente”.

– Até setembro de 2001, a FAA (autoridade aeroportuária dos EUA) envia um total de 105 relatórios diários de segurança, dentre os quais 52 mencionam o nome Bin Laden e Al- Qaeda.

– O líder da Aliança do Norte, que combate o talibã, discursa diante do parlamento europeu e diz que haverá logo um grande ataque terrorista contra os EUA. Em sua visita à Europa, ele se encontrou com agentes da CIA e forneceu a eles as informações de seu serviço secreto sobre Bin Laden.

Maio 2001

– Duas empresas, a Tri-Service DiLorenzo Health Care Clinic e a Air Force Flight Medicine Clinic, ambas instaladas no Pentágono, simulam cenário de emergência para o caso de queda no Pentágono de um avião 757 seqüestrado.

Junho 2001

– A 1 e 2 de junho, o NORAD executa manobras militares sob o codinome “Amalgam Virgo”, o qual simula entre outros exercícios, o ataque de aviões de passageiros seqüestrados colidindo contra edifícios em Washington. Na capa do manual de manobras aparece a foto de Osama Bin Laden.


– Saída do especialista em segurança Richard Clark por vontade própria e porque ele estava totalmente frustrado pela falta das medidas anti-terrorismo.

– O controle de decisão absoluta para abate de aviões seqüestrados é passado para o vice-presidente Dick Cheney.

– O moderador de rádio Milton William Cooper previu a 28 de junho em seu programa de rádio “Hour Of The Time”, que acontecerá nas próximas semanas nos EUA “um ataque terrorista encenado” e menciona ali Bin Laden, ele é colocado somente como bode expiatório, os verdadeiros culpados seriam os homens atrás da NWO. Ele deve ter tido razão. A 5 de novembro de 2001, ele é abatido frente à sua casa pelo Sheriff-Deputy, que aparentemente teria ido cumprir um mandato de prisão.

Julho 2001

– Bin Laden é tratado em um hospital norte-americano em Dubai com medidas emergenciais e com aparelho de diálise e conversa com o chefe local da CIA.

– O informante do FBI Randy Glass, que atua como comerciante de armas a mando do ATF e FBI, tem contato com um agente do serviço secreto paquistanês ISI, que quer comprar armas dele. Trata-se de R. G. Abbas, que após um jantar com Glass, diante de um restaurante em Nova York, aponta para as torres gêmeas e diz: “Estas torres vão cair!” Glass ficou tão preocupado com essa afirmação e outras passagens sobre ameaças, que ele enviou uma carta por fax ao senador Bob Graham, diretor da comissão do serviço secreto, e a outros políticos, para avisá-los sobre esta iminente ameaça. A 16 de julho de 2001, ele repete seu aviso em uma carta e pergunta o que está acontecendo? Mas nada aconteceu. Senador Bob Graham foi depois um dos membros da comissão de investigação do 9/11, que investigou oficialmente os fatos e publicou-os. Nenhuma palavra sobre o fato dele ter sido avisado meses antes. Randy Glass foi proibido pelo FBI declarar algo sobre esse aviso à opinião pública.

Esse mesmo relatório produzido pela comissão de investigação do 9/11 foi base para o livro Plano de Ataque e da reportagem tendenciosa da Rede Globo (ver final deste artigo) sobre os atentados – NR.

– Existiram mais de 70 investigações sobre suspeitos de terrorismo nos EUA no ano de 2001 e os agentes do FBI avisaram a central em Washington, eles estariam observando estudantes árabes em cursos de pilotagem que somente queriam aprender como voa um jumbo, mas não como se pousa. A central do FBI deu ordens a todos os agentes para nada fazer e deixar os suspeitos prosseguirem.

Niaz Naik, membro do ministério do exterior paquistanês é informado por oficiais norte-americanos de alta patente, por ocasião de um evento da ONU em Berlim, sobre uma ação militar contra o Afeganistão que seria planejada pelo Pentágono, para começar em meados de outubro. Isso quer dizer, o ataque contra o Talibã no Afeganistão já estava na agenda bem antes dos ataques de 11/9 (BBC).

Larry Silverstein que segurou meses antes o WTC em 3,5 bilhões de dólares
em evento da organização sionista UJA – United Jewish Appeal

Aparentemente a expressão “United Jewish Appeal” parece constranger os membros desta organização, pois é difícil até mesmo encontrar seu significado no próprio site da UJA – NR.

– Pela primeira vez em sua história, a propriedade do complexo World Trade Center troca de mãos por uma quantia de 3,2 bilhões de dólares, do Port Authority para o homem de negócios Larry Silverstein. Este segura os prédios contra ataques terroristas por 3,5 bilhões de dólares.

– Devido a um aviso por parte da Central do FBI, o ministro da justiça dos EUA, Ashcroft, não voa mais como de costume em vôos comerciais, mas sim somente com aviões do governo, por causa de um possível perigo terrorista.

– O ministro do exterior do Talibã, Wakil Ahmed Muttawakil, avisa os EUA que ele teria informações que um “grande ataque” acontecerá dentro dos EUA.

– Alex Jones fala ao vivo na TV a 25 de julho de 2001 e anuncia que logo acontecerá um ataque terrorista. Ele pede aos telespectadores que liguem para a Casa Branca e lhes comuniquem que se algo acontecer, então todos saberão quem foi. Ele menciona o World Trade Center e diz que o governo aproveitará o pretexto e isso seria o Reichstagsbrand de Bush/Cheney. Dois meses depois, seu aviso tornou-se realidade:

Agosto 2001

– Dois especialistas anti-terror apresentam sua demissão, pois eles estão frustrados sobre a deficiência das medidas contra o iminente ataque terrorista temido por eles.

– A Casa Branca recebe um fluxo cada vez maior de relatórios do serviço secreto sobre o perigo de um ataque terrorista, que aviões serão seqüestrados, que Bin Laden recrutou terroristas no Canadá, sim, um relatório continha até o título “Bin Laden determined to attack inside the US” e “Something really spectacular is going to happen here, and it s going to happen soon”.

– O FAA avisa todas as linhas aéreas sobre possível seqüestro dentro dos EUA.

– O presidente russo Vladimir Putin avisa os EUA sobre pilotos suicidas treinados para o ataque.

– O departamento de proteção a catástrofes FEMA avisa sobre um ataque terrorista em Nova York e exige medidas preventivas.

– Membros da Casa Branca, inclusive presidente Bush, começam a se proteger contra Antraz e tomam o antídoto Cipro. Por que alguém iria se proteger contra o carbúnculo, a não ser que se tenha conhecimento prévio sobre algo que irá acontecer, como o ataque com cartas de antraz, e se conheça o perigo?

– Hani Hanjour, o qual supostamente teria pilotado o vôo 77 no Pentágono, é reprovado no teste e lhe é rejeitado alugar um pequeno avião, pois o instrutor duvida de sua habilidade após um vôo de experiência.

– Presidente Bus agradece os avisos de terror iminente junto ao diretor da CIA, “You’re covered your ass, now”, “vocês seguraram seus traseiros”.

– O serviço secreto israelense Mossad avisa os EUA de um iminente ataque terrorista.

– Cofer Black, chefe do centro anti-terror da CIA, diz em sua palestra diante do ministério da defesa, “We are going to be struck soon, many americans are going to die, and it could be in the US”.

– Zacarias Moussaoui visita um centro de treinamento aéreo e voa no simulador de um 747-400. Depois que ele faz algumas perguntas esquisitas sobre quanto combustível tem um avião desses e quanto dano ele poderia causar, o pessoal denuncia-o ao FBI, o qual chega a prendê-lo. Mas a central do FBI não mostra qualquer interesse e ele é preso somente por ter imigrado ilegalmente.

– A base militar em Fort Meade, entre Baltimore e Washington, executa pela primeira vez procedimentos rigorosos de segurança e ninguém sai ou entra sem se identificar. Eles são justificados como medidas anti-terroristas.

– Especialistas antiterror John O´Neill entrega sua demissão do FBI, porque ele não consegue fazer mais seu trabalho devido ao bloqueio continuado. Ele se muda para Nova York como chefe da segurança para o World Trade Center. Ele irá morrer a 11 de setembro.

– Os primeiros quatro seqüestradores compram os tickets sob seus nomes verdadeiros, aparecem também na “Watch-List”, mas não são impedidos de voar.

– O Walter Reed Army Medical Center (WRAMC) em Washington é evacuado parcialmente e modificado para uma grande operação de tratamento de muitos feridos.

– Mohamed Atta pode comprar sua passagem aérea, embora ele seja procurado por dirigir sem carteira de motorista e ter violado as condições do visto.

– O presidente do Egito Hosni Mubarak avisa os EUA ante um avançado plano de ataque dos terroristas.

– 2/3 de todos os caças baseados em Langley Air Force Base, que devem proteger Washington, são transferidos para manobras denominadas “Northern Guardian” na Islândia, Europa e Oriente Médio, por vários semanas.

– O ministério dos transportes executa manobras que simulam um seqüestro de avião e treinam contra-medidas.

– O diretor da CIA George Tenet visita a 24 de agosto,o Presidente Bush em seu rancho em Crawford, Texas, e o informa sobre ameaçador perigo terrorista. Presentes neste encontro estão o ministro da defesa Rumsfeld, conselheira para segurança nacional Condi Rice e o chefe das forças armadas General Meyers e Pace.

Setembro 2001

– Robert Mueller assume o cargo como novo diretor do FBI a 3 de setembro, após a renúncia repentina e inexplicada de seu antecessor Louis Freeh.

– Um dos dois engenheiros calculistas do World Trade Center, Leslie Robertson, é questionado numa conferência em Frankfurt a 3 de setembro, se ele previu medidas construtivas contra um ataque terrorista. Ele respondeu, “Eu concebi as torres de tal forma, que elas podem agüentar o impacto de um 707”. De fato, as torres foram os primeiros prédios civis que foram construídos especialmente para suportar um ou mais colisões aéreas.

– O Mossad envia mais um aviso a 4 de setembro.

– A firma de mudanças Zim-American Israeli Shipping Co. remove sua sede com 200 funcionários a 4 de setembro, do 16º andar da torre do WTC para Norfolk Virginia. 49% desta empresa pertence ao Estado de Israel.

– Três semanas antes do 11 de setembro, inquilinos do World Trade Center reportam sobre um apagão planejado nas torres, no final de semana anterior ao 11 de setembro. Com isso todos os dispositivos de segurança estavam desligados neste fim de semana, todas portas estavam abertas, as câmaras de segurança nada mostraram e todos os alarmes mudos. O trabalho dos técnicos que foram vistos colocando os cabos e executando os trabalhos, que abalou todo o prédio, é justificado como renovação do cabeamento para internet. Foi uma première o desligamento completo da energia no histórico das torres.

– O chefe do serviço secreto paquistanês ISI, General Mahmood Ahmed visita Washington. Ele mantém conversas no Pentágono com o conselho de Segurança Nacional, depois com o diretor da CIA Tenet, com pessoas da Casa Branca e com Marc Grossman, subsecretário dos EUA para assuntos externos.

– Alguns terroristas vão jogar e se divertir a 5 de setembro em um cassino flutuante da SunCruz Casinos em Madeira Beach Florida, se comportam de forma alguma como verdadeiros muçulmanos.

– As medidas de segurança são intensificadas no World Trade Center, são utilizados cães farejadores de explosivos e controlados todos os veículos de fornecedores. Mas a 6 de setembro, inexplicavelmente todas as medidas são suspensas e os cães retirados.

– O escritor Salman Rushdie não tem mais permissão de voar internamente nos EUA a partir de 6 de setembro, segundo autoridades norte-americanas. Diz-se que a FAA teria dito ao seu editor, “há informações que algo irá acontecer”.

– Foram negociadas quantidades atípicas dos títulos do tesouro de 5 anos, apenas uma transação alcançou a cifra de 5 bilhões de dólares. Estes papéis são excelentes quando acontece uma crise mundial e as ações caem.

– Na semana anterior ao 11 de setembro, foram negociadas nas bolsas de todo mundo grandes quantidade de Put-Options, principalmente as ações da American Airlines, United Airlines, diversas seguradoras e bancos, os quais teriam prejuízo um pouco depois devido aos ataques. Uma Put-Option é uma aposta pela queda do preço de uma ação. No geral, 15 bilhões de dólares foram negociados aqui.

– O iraquiano Ali S., que está detido numa prisão alemão e aguarda extradição, telefona várias vezes para autoridades norte-americanas e os avisa sobre o iminente ataque terrorista. Ele fala sobre “um ataque que mudará o mundo.”

– Mohamed Atta recebe uma semana antes do 11/9 um pagamento no valor de 100 mil dólares. Depositante é Amed Omar Saeed Sheikh, um agente do serviço secreto paquistanês ISI, que deposita o dinheiro em nome do chefe do serviço secreto paquistanês ISI, general Mahmood Ahmed. Posteriormente, o vice-diretor do FBI, Dennis Lormel, responsável por lavagem de dinheiro, confirma que eles seguiram o rastro do dinheiro e este veio de um banco dos Emirados Árabes unidos. A maioria dos recursos financeiros da operação proveio da Arábia Saudita.

– Os terroristas foram observados em Miami quando eles então, alcoolizados, esbanjaram dinheiro num Strip-Bar e se gabavam.

– Na comunidade árabe e nas mesquitas em Nova York corriam os rumores sobre um iminente ataque à cidade e que deveriam se manter afastados das ruas.

– Um estudante paquistanês de New Utrecht High School, no Brooklin, aponta as torres e diz aos seus colegas “olhem para estes prédios, na próximas semana eles não vão estar mais lá”. O professor denuncia isto à polícia, a qual informa ao FBI, mas nada acontece.

– São vendidas grandes quantidades de ações das seguradoras Munich Re, Swiss Re e AXA, ou seja, espera-se a queda de suas cotações.

– Aumentam dramaticamente os negócios de Put-Option de empresas que têm sua sede nas torres do WTC. Por exemplo, as do Morgan Stanley, que negocia em média 27 Put-Option por dia e estas aumentam para 2.157. Semelhante no caso da Merril Lynch, de 252 por dia para 12.215. Dylan Ratigan da Bloomberg Business News disse sobre isso: “This would be one of the most extraordinary coincidences in the history of mankind if it was a coincidence.”

– A partir de 5 de setembro, cerca de 500 páginas de origem árabes e muçulmanas são retiradas do ar, quando um grupo anti-terror invade o escritório da empresa InfoCom Corporation, no Texas. Mais de 80 homens entram na empresa de IT, inclusive agentes do FBI, serviço secreto, do serviço diplomático, da receita, aduaneiros, da imigração, do ministério da economia e também peritos em informática. Após três dias, eles ainda estavam ocupados em copiar os discos-rígidos que puderam encontrar. InfoCom abrigava as páginas da web de diversos clientes do Oriente Médio, como Al-Jazeera (estação de TV via satélite), al-Sharq (jornal do Quatar), e Birzeit (universidade da Palestina). Eles queriam inibir com isso qualquer possibilidade de oposição ou representação contrária que contrariasse a estória oficial, terroristas árabes seriam os autores do 11/9?

– A direção da Warner Bros. em Nova York é avisada pela sua central em Hollywood, para deixar Nova York, pois a 11 de setembro algo grande iria acontecer “something big is happening that day”. Eles voaram para longe, cada um para um lugar diferente, Paris, Londres e Amsterdam. O aviso foi feito por um gerente da empresa, que também trabalha para a CIA como informante.

– A 6 de setembro, Mohamed Atta e outros supostos terroristas do 11/9 visitaram justamente o Oklahoma City National Memorial Museum, onde é lembrado o ataque a bomba de Alfred P. Murrah em 1995. Um funcionário identifica, além de Atta, os outros quatro como sendo Abdulaziz Alomari, Saeed Algamdi, Ahmed Alnami e Hamza Algamdi. Ele se lembra muito bem delas, porque eles não se comportaram de forma discreta, obrigando-o a lhes chamar atenção. À vista disso, eles deixaram o museu imediatamente.

– Na noite de 7 e 8 de setembro, Atta e seus homens foram a um bar em Oklahoma City. Eles beberam cerveja e aguardente, dançaram (não se comportaram como fanáticos religiosos muçulmanos) e iniciaram um quebra-pau com dois freqüentadores costumeiros do local. De acordo com os recibos dos cartões de crédito desta noite, pode-se identificar o número dos cartões de crédito expedidos pelas autoridades norte-americanas. Um dos cartões de crédito utilizados por Atta e seus colegas tinha a data de vencimento expirada há seis meses, e mesmo assim foi aceita pelo sistema o que é normalmente impossível.



– O General Ahmed Shah Massoud, líder afegão da Aliança do Norte, é assassinado a 9 de setembro por dois agentes da “Al-Kaida” que se passaram como dois jornalistas de TV marroquinos.

– O comando de defesa aérea norte-americano NORAD inicia suas manobras “Operation Northern Vigilance” a 9 de setembro e transfere uma grande parte de seus aviões do leste dos EUA para o Alasca.

– O prefeito de San Francisco, Willy Brown, deveria voar até Nova York, porém, recebeu a 9 de setembro um aviso para não voar nos próximos dias.

– Todos os principais generais recebem um aviso a 10 de setembro para não voar no próximo dia.

– A FEMA chega a 10 de setembro a Nova York para um exercício contra catástrofes que deve começar no próximo dia em Manhattan.

– O ministro da defesa Ronald Rumsfeld reporta em palestra a 10 de setembro que o ministério da defesa nota a falta de 2,3 bilhões de dólares e não consegue encontrar. CBS investiga posteriormente que isso significa cerca de 25% do orçamento anual da defesa, não teriam sido contabilizados e, segundo um especialista, “Their numbers are pie in the sky. The books are cooked routinely year after year!”. Justamente o escritório que investiga a soma não contabilizada é destruído completamente no ataque contra o Pentágono e todo documentação eliminada.

– Silverstein Properties, a empresa de Larry Silverstein que adquiriu alguns meses antes o WTC, cancelou um meeting agendado para o dia seguinte no 88º da torre norte. Ele deveria discutir lá juntamente com funcionários da Port Authority, o que deve ser feito em casos de ataque terrorista.

– Desde 1993, após o ataque contra o WTC, a empresa de segurança Securacom/Stratesec foi contratada para instalação de um novo sistema de segurança para as torres e pela segurança de uma forma geral. O diretor da firma até 2000 foi Marvin Bush, irmão do presidente norte-americano. Depois assumiu Wirt D. Walker III, um parente da família Bush, que possuía até 2002 uma elevada posição na empresa. Securacom não era responsável pela segurança apenas do World Trade Center, mas também pela United Airlines no aeroporto Dulles em Washington, de onde partiu o vôo 77.

– Bin Laden é levado a 10 de setembro ao hospital militar em Rawalpindi, Paquistão, para se submeter a uma diálise devido à uma insuficiência renal. Soldados paquistaneses vigiam Bin Laden e substituem o pessoal local por outras de confiança. Por isso, durante os ataques a 11 de setembro, Bin Laden estava sob custódia dos limitares paquistaneses, e poderia ter sido preso sem qualquer resistência na cama do hospital.

conclusão
As afirmações do governo norte-americano onde eles alegam que nada sabiam, não receberam avisos e por isso não puderam evitar os ataques, é uma mentira descarada. Pode-se ver que semanas antes aconteceram dúzias de avisos. Com isso o governo norte-americano é pelo menos cúmplice quanto ao fato de permitir que os ataques acontecessem e levado em conta a possibilidade de morte de 3.000 pessoas, o que já justificaria o impeachment de Bush por alta-traição e genocídio.

Texto: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe de sua opinião!

Pesquise por assunto

Postagens mais visitadas do mês.

As postagens mais visitadas do site.