2 de mai. de 2020

RELACIONAMENTOS E A PORNOGRAFIA.

CLIC NO PLAYER PARA OUVIR.

Quais são os efeitos da pornografia no relacionamento amoroso?


A resposta para a pergunta de quais são os efeitos da pornografia em um relacionamento amoroso depende das características e opiniões de cada um dos seus membros.

Fonte

Você é ou já foi consumidor de pornografia? Como você acha que o consumo de pornografia impacta o relacionamento amoroso? Você acha que ele tem uma influência determinada ou, pelo contrário, que não tem muita influência? O debate sobre o tema está aberto há muito tempo. A seguir, analisaremos o assunto.

Desde que a revista Playboy nasceu nos anos 50, a sociedade se tornou cada vez mais tolerante à pornografia. Atualmente, temos acesso a esse tipo de conteúdo a todo momento e de qualquer lugar do mundo. O público também aumentou. Na verdade, apesar de os homens serem os maiores consumidores de pornografia, o número de mulheres consumidoras vem aumentando.

Um tema tão difundido na nossa sociedade não passaria despercebido para os pesquisadores. Por isso, há um grande interesse em estudar os efeitos da pornografia nos relacionamentos amorosos. Vejamos os resultados disponíveis até o momento.


“A cinematografia se tornará a pornografia. O ato sexual será uma cena de sucesso. A arte saudável irá sumir”.
-Benjamín Solari Parravicini-
Estudos sobre os efeitos da pornografia nos relacionamentos amorosos

O sociólogo Fagan (s.f) argumenta que, nas relações amorosas, os homens que costumam consumir pornografia podem ter relações matrimoniais menos satisfatórias e se sentir menos unidos emocionalmente a suas parceiras. Por outro lado, mulheres que descobrem que seu parceiro consome pornografia costumam experimentar sentimentos de traição, desconfiança e raiva como resposta à descoberta. Além disso, começam a se sentir menos atraentes e mais inadequadas sexualmente.

Mchee argumenta que a pornografia pode ser benéfica para as relações, especialmente no âmbito sexual, já que seu consumo gera uma atitude positiva dos indivíduos em relação à sexualidade e à exploração sexual. Ou seja, trata-se de incluir a pornografia como um elemento a mais do ato sexual do casal.


Estudo 1

Uma pesquisa feita por Lambert et al (2012) conseguiu identificar uma falta de dados sobre os efeitos do uso da pornografia nas relações de casal. Tendo isso como base, decidiram conduzir uma pesquisa para avaliar os efeitos do consumo de pornografia nas relações amorosas de maneira particular, no compromisso dentro delas. A hipótese levantada tinha como base a expectativa de que os níveis altos de consumo de pornografia teriam relação com a falta de compromisso ou com um compromisso fraco dentro das relações românticas.

Em um dos estudos realizados, o objetivo foi determinar se existia uma relação entre o consumo de pornografia e o grau de compromisso nas relações. Para fazer isso, os pesquisadores coletaram uma amostra de 367 pessoas entre 17 e 26 anos de idade, que reportaram estar em uma relação romântica heterossexual. Para determinar o consumo de pornografia, foi realizada a seguinte pergunta: “Aproximadamente quantas vezes nos últimos 30 dias você visitou um site contendo conteúdos pornográficos?”

Os resultados encontrados mostraram que a existência de um alto consumo estava relacionada a baixos níveis de compromisso dentro da relação.


“A pornografia é a tentativa de insultar o sexo, de sujá-lo”.
-David Herbert Lawrence-
Estudo 2

Um estudo realizado por Szymanski & Stewart-Richardson (2014) pretendia entender as expectativas sobre o uso da pornografia durante uma relação de longo prazo ou em um casamento, e também as diferenças de gênero. Os resultados concluíram que o uso da pornografia nas relações é visto com ressalvas, no que diz respeito às mulheres, devido ao possível vício que o parceiro pode desenvolver pelo fácil acesso ao conteúdo e o crescente número de casais que buscam a psicoterapia por causa do vício na pornografia.

Esses mesmos autores consideram que evitar o consumo é uma maneira de proteger a qualidade da relação, já que esta é uma maneira de assegurar que o casal mantenha o amor, o compromisso e o respeito dentro do relacionamento.

Alem disso, Szymanski & Stewart-Richardson (2014) descobriram que os homem atribuem uma maior quantidade de qualidades positivas ao uso da pornografia do que as mulheres, posto que consideram que ela poderia estimular as relações sexuais. Além disso, pensam que é uma maneira instrutiva de aprender novas posições e técnicas.

No entanto, apesar de alguns participantes considerarem que a pornografia era um meio para melhorar as relações amorosas, seja no seu consumo individual ou em casal, o estudo concluiu que as pessoas que consomem esse material com seu parceiro têm uma dedicação maior à relação.

Por outro lado, é importante ter em mente que nos casos mais extremos ou de vício em pornografia, no qual existe um consumo continuado e desmedido desse tipo de material, a pessoa viciada experimenta uma perda de interesse ou desejo sexual em relação ao seu parceiro. Isso acontece devido à diminuição da reação a estímulos sexuais habituais, já que essa pessoa passa a precisar cada vez mais de estímulos advindos desse tipo de material. De fato, essa situação pode gerar problemas de ereção, dificuldade de atingir o orgasmo e a diminuição de encontros sexuais com o parceiro.
Efeitos da pornografia no relacionamento amoroso: positivos ou negativos?

No que diz respeito aos efeitos da pornografia no relacionamento amoroso, podemos falar de dois polos. Sam Carr, professor de educação da Universidade de Bath, afirma que é tudo uma questão de perspectiva.
Opiniões negativas. São aquelas que consideram que a pornografia pode afetar a estabilidade das relações, diminuir a atividade sexual, gerar relações sexuais menos satisfatórias, menor compromisso em relação ao relacionamento e infidelidade (Bridges et al., 2003, citado por Lambert et al., 2012; Bergner , 2002, citado por Lambert et al, 2012; Fagan, s.f.).
Opiniões positivas. Há quem ache que a pornografia possa ser benéfica para o relacionamento amoroso, especialmente no âmbito sexual, porque contribui para a estimulação e é percebida como algo instrutivo para aprender posições e técnicas novas na cama. Além disso, é um meio para que os casais possam se dedicar mais à relação (Szymanski & Stewart-Richardson, 2014).


“Eu gosto de ler pornografia em braile”.
-Woody Allen-



Conclusões sobre o consumo de pornografia no relacionamento

A concepção do sexo e da sexualidade evoluiu ao longo da história. Cada vez há mais informação disponível e uma presença maior de elementos de cunho sexual no nosso dia a dia. Isso influencia os comportamentos humanos, como é o caso do consumo de pornografia, que hoje é normalizado e difundido na sociedade como um todo. Dessa forma, a ideia de que um membro do casal veja pornografia não é estranha nem vista de forma tão negativa nos dias de hoje.

Apesar disso, o benefício ou o dano que a pornografia vai trazer depende do uso que os membros do casal fazem dela, se estão de acordo em fazer uso durante suas relações, etc… Dito isso, o mais importante é sempre o respeito mútuo. De qualquer outra forma, seria contraproducente ter a pornografia presente.


ACESSE NOSSAS INDEXADAS

PESQUISE POR ASSUNTO

AS PREFERIDAS DO MÊS

SEJA MAIS UM(A) SEGUIDOR(A)