10 de set. de 2020

Covid-19 Scamdemic - 1

Covid-19 – Scamdemic [o Escândalo da Pandemia] 

Covid-19 Scamdemic

Entre muitos estados globalistas semelhantes, o Reino Unido é uma “parceria” público-privada entre governo, grandes instituições financeiras, as grandes corporações multinacionais, grupos de reflexão globais e organizações do Terceiro Setor bem financiadas, como as chamadas organizações não governamentais (ONGs) e grandes instituições de caridade internacionais. Este grupo de bilionários parasitas nefastos aos interesses do grande público, freqüentemente denominado erroneamente como “elite”, explora toda a humanidade para seu próprio ganho e para consolidar e aumentar seu poder e controle sobre a nossa civilização. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

COVID 19 – Scamdemic [Escândalo da Pandemia]- Parte 1

Postado por: IAIN – Fonte:  https://in-this-together.com/covid-19-scamdemic-part-1/

Por meio de uma estrutura labiríntica de financiamento direto, concessão de doações e filantropia, o Estado do Reino Unido é uma organização globalista coesa que trabalha com acadêmicos selecionados, instituições científicas e meios de comunicação [PRE$$TITUTE] convencionais (MSM) para promover uma narrativa [AGENDA] rigidamente controlada e predeterminada. Este consenso projetado atende aos interesses na agenda e ambições globais de um pequeno grupo de pessoas desproporcionalmente ricas [Os “Filhos de Belial”].


{(*)O Terceiro Setor: é uma terminologia sociológica que dá significado a todas as iniciativas privadas de utilidade pública com origem na sociedade civil. A palavra é uma tradução do inglês third sector, uma expressão muito utilizada nos EUA para definir as diversas organizações sem vínculos diretos com o primeiro setor (públicoo Estadoe o Segundo setor (privadoo mercado). De um modo mais simplificado o terceiro setor é o conjunto de entidades da sociedade civil com fins públicos e não lucrativos, conservados pela ênfase na participação voluntária em âmbito não governamental.}


MSM uma única máquina de propaganda coesa

Este grupo de parasitas nefastos aos interesses do grande público, freqüentemente denominado erroneamente como “elite”, explora toda a humanidade para seu próprio ganho e para consolidar e aumentar seu poder e controle. Eles controlam a oferta de dinheiro e a dívida global, que é uma dívida para com eles. Os seres humanos são obrigados a pagar impostos que, por meio de compras governamentais, vão diretamente para as empresas privadas de sua propriedade. Guerra, segurança, projetos de infraestrutura , educação e saúde fornecem lucros e são usados ​​pela classe parasita dessa “elite” para construir socialmente a sociedade de acordo com sua agenda.

Globalmente, eles financiam todos os partidos políticos, com qualquer chance realista de ganhar poder, eles são os donos dos veículos de sua propaganda MSM [PRE$$TITUTE] e gastam bilhões fazendo lobby com formuladores de políticas. Por meio de grupos de reflexão e ações de ativistas políticos “independentes” , como a FPAction Network , eles financiam diretamente as campanhas políticas em troca da lealdade do político a eles e à sua agenda, não ao eleitorado e ao pais. Por meio de suas “fundações” com isenção de impostos, como a Fundação Bill e Melinda Gates (BMGF), eles controlam a ortodoxia científica, médica e acadêmica.

Esta rede global de oligarcas [Os “Filhos de Belial”] está se movendo em direção aos estágios finais de seu plano de longa data de construir um único sistema global de governança. Muitas vezes chamado de Nova Ordem Mundial  (NWO), é uma colaboração entre organizações políticas supranacionais, como as Nações Unidas e a União Europeia , autoridades científicas controladas, como o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), instituições financeiras globais, incluindo o Banco Mundial, FMI, BCE e Banco de Compensações Internacionais (BIS), organizações globalistas como o Fórum Econômico Mundial (WEF), ONGs como o World Wildlife Fund (WWF) e grupos de reflexão [manipulação] sobre a formulação de políticas como o Conselho de Relações Exteriores (CFR), Clube de Roma, Grupo Bilderberg e Comissão Trilateral.

O Estado do Reino Unido é um tentáculo proeminente do sistema de governança global emergente. Capitalizou a crise da COVID 19 para criar as condições para um novo modelo econômico e político global. Embora o vírus COVID 19 pareça ser uma cepa desagradável do coronavírus comum, na Parte 2 discutiremos como o Estado do Reino Unido [e demais países] inventou uma narrativa falsa sobre a doença para promover os interesses e a aceleração da implantação da agenda de seus mestres oligarcas globalistas. Gerenciar uma resposta a uma pandemia [criada] é apenas a justificativa enganosa para a planejada reengenharia da sociedade planetária.

Fundação B&M Gates. “Salvando” o mundo com uma vacina de cada vez.

 

Em parceria com o Johns Hopkins Center for Health Security e o BMGF, o WEF foi o arquiteto chefe do Evento 201, que traçou, em detalhes bastante precisos, o bloqueio global e a resposta da mídia [PRE$$TITUTE] mundial a uma pandemia global de coronavírus. O evento 201 foi encenado apenas uma questão de meses antes do início da pandemia global PELO coronavírus. Tanto os bloqueios dos governos quanto a resposta dos MSM [PRE$$TITUTE] ocorreram exatamente como previsto.

Dizer que tudo isso é apenas uma coincidência, e não digno de um exame mais aprofundado, está além de obtuso, é estupidez. A ampla e detalhada plataforma de ação COVID 19 do WEF estava instalada e funcionando já em 12 de março de 2020 . No dia seguinte, a OMS declarou uma pandemia global de COVID 19.

É claro nas próprias palavras do WEF, que eles vêem a COVID 19 como uma oportunidade fantástica para impor mudanças de acordo com os seus interesses e agenda. Eles afirmam:

“A crise da Covid-19 e as perturbações políticas, econômicas e sociais que causou estão mudando fundamentalmente o contexto tradicional para a tomada de decisões ……. À medida que entramos em uma janela de oportunidade única para MOLDAR a recuperação, esta iniciativa oferecerá percepções para ajudar a informar todos aqueles que determinam o estado futuro das relações globais, a direção das economias nacionais, as prioridades das sociedades, a natureza dos modelos de negócios e a gestão de bens comuns globais. ”

Esta é uma proposta de governança global que supera a soberania nacional dos países. É tão simples quanto isso.

É notável que ainda haja tantos que acusam aqueles que apontam para este plano de longa data da Nova Ordem Mundial, extensivamente documentado e falado por líderes políticos por gerações, de serem os chamados teóricos da conspiração . É de se perguntar se essas pessoas sabem ler e ENTENDER o que leem.

Fazendo referência às oportunidades do uso da pandemia pelo COVID 19, um dos fundadores e atual presidente executivo do WEF Klaus Schwab escreveu recentemente:

“Uma forte crise econômica já começou e podemos estar enfrentando a pior depressão desde os anos 1930. Mas, embora esse resultado seja provável, não é inevitável. Para alcançar um melhor resultado, o mundo deve agir conjunta e rapidamente para renovar todos os aspectos de nossas sociedades e economias, desde a educação até os contratos sociais e as condições de trabalho. Todos os países, dos Estados Unidos à China, devem participar, e todos os setores, desde petróleo e gás até tecnologia, devem ser transformados. Em suma, precisamos de uma “Grande Reinicialização” [The Great Reset] do capitalismo. ”

O capitalismo requer uma reinicialização porque o modelo de capitalismo de compadrio fechado , operado pela classe parasita global durante séculos, atingiu os limites do crescimento. Portanto, eles precisam criar um novo paradigma econômico (a Grande – Great Reset – Restauração) tanto para centralizar e consolidar ainda mais seu poder quanto para consertar seu próprio modelo anterior de negócios falho.

Após o colapso bancário de 2008 [e o grande resgate de grandes bancos], enquanto o povo era forçado a sofrer austeridade para resgatar os bancos com uma forma de socialismo de compadrio altamente seletivo, que desviou trilhões de dólares para o bolso dos mais ricos, a classe parasita simplesmente continuou acumulando a dívida. No Acordo de Capital da Basiléia III, supostamente projetado para conter as especulações de mercado selvagem dos bancos que causaram o colapso, eles efetivamente reduziram as exigências de liquidez (reserva de capital) para os bancos, permitindo-lhes emprestar ainda mais.

Esse processo de permitir que os bancos criem a moeda FIAT MONEY a partir do nada levou inevitavelmente a uma dívida global de  US$ 260 trilhões aproximadamente, o que é mais de três vezes o tamanho do PIB do planeta . No entanto, isso é pequeno em comparação com a escala do mercado de derivados de produtos financeiros. Estima-se que seja algo entre US$ 600 trilhões e mais de US$ 1 quatrilhão . Embora alguns digam que esse é apenas o valor nocional da dívida vinculada a contratos de derivativos, o fato é que se trata apenas de dívida.

Cumulativamente, sua produtividade não é suficiente na Terra nem para pagar os juros dessas dívidas, quanto mais pagá-las. Em última análise, trata-se de uma dívida para com os oligarcas [Os “Filhos de Belial”] que controlam o sistema mundiade bancos centrais . É um sistema do Mickey Mouse que permite aos monopolistas confiscar ativos usando seu próprio dinheiro SEM VALOR.

Embora o poder de criar dinheiro FIAT MONEY em todas as moedas, a partir do nada além da criação de dívidas e impressão de cédulas em papel colorido sem nenhum valor real, tenha proporcionado a eles um imenso controle econômico e político, 2008 demonstrou que sua fraude de usura pode, e certamente irá, entrar em colapso. Daí a necessidade de uma “Grande Restauração”. Responder a uma pandemia ou salvar vidas não tem nada a ver com isso.

O processo de transição, apresentado pelo WEF como a Grande Reinicialização, baseia-se nas metas de  desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 da ONU. Fundado na ideologia eugenista geracional dos oligarcas da NOM, o novo sistema de governança global será uma tecnocracia .

Embora a Tecnocracia, governada por tecnocratas nomeados ou eleitos por sua especialidade, possa parecer atraente para alguns, o modelo proposto depende da destruição de Estados-nação para serem substituídos por uma ordem tecnocrática global CENTRAL e distante que serve apenas aos interesses de seus oligarcas fundadores e financistas benfeitores. Esse sistema tecnocrático foi delineado em 1974 pelo ex-embaixador dos EUA Richard N. Gardner, membro do CFR e da Comissão Trilateral, em seu artigo The Hard Road To World Order :

“Nunca houve um reconhecimento tão generalizado pela liderança intelectual mundial da necessidade de cooperação e planejamento em uma base verdadeiramente global. Nunca houve um crescimento tão extraordinário no potencial construtivo de organizações privadas transnacionais – não apenas corporações multinacionais, mas associações internacionais de todo tipo nas quais pessoas com ideias semelhantes em todo o mundo tecem padrões eficazes de ação global …….

A esperança para o futuro previsível reside, não na construção de algumas instituições centrais ambiciosas de filiação universal e jurisdição geral ……. mas sim em … ..inventar ou adaptar instituições de jurisdição limitada e membros selecionados para lidar com problemas específicos em um caso – caso a caso … fornecer métodos para mudar a lei e aplicá-la conforme ela muda e desenvolver a percepção de interesses comuns … Em suma, a “casa da ordem mundial” terá que ser construída de baixo para cima ao invés de de cima para baixo … mas uma corrida final em torno da soberania nacional, corroendo-a peça por peça, vai realizar muito mais do que o ataque frontal antiquado. ”

As instituições de jurisdição limitada , como o IPCC e a OMS, já estão em vigor dirigindo a política governamental nacional em todo o mundo. Na Grã-Bretanha, é papel do Estado do Reino Unido realizar as mudanças de política obrigatórias a fim de erodir a soberania nacional e criar a tecnocracia de governança global. Todos os estados globalistas são essencialmente inconstitucionais e traidores.

Bill Gates – porta-voz da ordem mundial

interesse comum , determinado pela classe tecnocrata a mando de seus pagadores oligarcas corporativos, está atualmente substituindo os direitos e liberdades individuais. O ser humano está se tornando pouco mais do que uma unidade a ser gerenciada, dirigida e, quando necessário, descartada. Direitos humanos inalienáveis ​​estão sendo totalmente ignorados em busca do interesse comum de uma pequena elite. ISTO ESTA GRAVADO EM PEDRA.

A crise global do COVID 19 é um evento catalisador que foi mal utilizado para provocar a Grande Restauração. A fim de convencer as pessoas a cumprirem suas ordens, o Estado do Reino Unido inculcou a população a um estado de medo perpétuo.

Estados ao redor do mundo têm praticado a engenharia social usando o engano, fazendo proselitismo de uma fé inquestionável em uma forma ilusória de ciência (cientificismo), modificação de comportamento, regulamentação ilegal e propaganda. Eles usaram seus obedientes veículos da MSM [PRE$$TITUTE] para convencer seus povos de que a ameaça do COVID 19 é significativamente maior do que ela realmente é.

Na Parte 2, deste ensaio vamos nos concentrar no engano do Estado do Reino Unido. No entanto, o mesmo pode ser dito para todos os outros estados globalistas que responderam de forma semelhante à alegada pandemia.

A COVID 19 foi explorada para substituir nossos direitos humanos inalienáveis ​​por uma obrigação imposta de obedecer às ordens de saúde pública. A saúde pública tornou-se biossegurança e já não existe um ser humano saudável. Todos os humanos são agora riscos biológicos e os riscos biológicos devem ser controlados ou removidos da sociedade para o bem comum .

Com o povo britânico vivendo em um estado de medo injustificado, o Estado do Reino Unido conseguiu introduzir uma  legislação antidemocrática draconiana (literalmente reptiliana dos “Filhos de Belial”). Em outras circunstâncias, isso teria sido impossível sem uma revolta significativa da população. Aterrorizar o público foi essencial para convencê-lo a acreditar que o Estado deveria retirar todos os seus direitos e liberdades para mantê-lo seguro .

Inicialmente enganando o público que as “medidas de emergência” seriam temporárias, novas modificações de comportamento foram usadas para forçar as pessoas a cumprir uma lista cada vez maior de regulamentos totalitários. O objetivo era levar as pessoas a aceitar passivamente a ditadura de um estado de vigilância rebatizado como “o novo normal”Até agora, parece que a imensa maioria das pessoas teve medo o suficiente para aceitar humildemente sua escravidão.

Durante a transição do Great Reset, a face pública do projeto globalista foi Bill Gates . No entanto, embora Bill Gates tenha usado sua imensa riqueza para assumir o controle da política de saúde pública global, ele é apenas o atual líder da Ordem Mundial 2.0 . São as possibilidades tecnológicas apresentadas pela 4ª Revolução Industrial que os arquitetos da ordem mundial estão capitalizando.

Por exemplo, embora não haja evidências de que o COVID 19 possa ser disseminado pelo manuseio de dinheiro, a MSM [PRE$$TITUTE] repetidamente divulgou essa ideia . Isso não é surpresa. a BBC está entre as muitas organizações de mídia diretamente financiadas pelo BMGF .

Esquemas piloto, como o West African Wellness Pass , apoiado pelo BMGF , já estão em andamento. Ao vincular a identificação biométrica, ao longo das linhas do BMGF financiado, Rockefeller e ID 2020 apoiado pela ONU , com sistemas de pagamento sem dinheiro, todas as transações podem ser controladas centralmente na sociedade sem dinheiro que se aproxima rapidamente.

Quando sua identidade biométrica inclui seu status de [pseudo] imunidade aos vírus pela vacina, não haverá necessidade de legislar para tornar as vacinas “obrigatórias”. Evitando assim qualquer debate público contencioso. Desde que se cumpra integralmente as suas ordens, terá acesso controlado à atividade social e econômica.

Sistemas como passaporte de imunidade e certificados de vacina serão usados ​​para controlar a liberdade de movimento, o direito de trabalhar e de acessar serviços e a comunidade. Conforme descrito pelo porta-voz da ordem mundial Bill Gates:

“Eventualmente, teremos alguns certificados digitais para mostrar quem se recuperou ou foi testado recentemente ou de que recebeu a vacina quando a tivermos produzido.”

Embora as vacinas possam não ser obrigatórias, você não poderá realisticamente participar da sociedade, trabalhar, administrar um negócio ou receber benefícios , sem a vacina apropriada ou o status de imunidade. O BMGF já investiu mais de US$ 21 milhões em um projeto do MIT para criar um sistema de entrega de vacina com microagulhas que injetará um dado reativo sob a pele do receptor que poderá então ser escaneado por um leitor ótico. Esse padrão funcionará como uma tatuagem indelével de código de barras[o número da besta dos “Filhos de Belial”], permitindo que as autoridades globais monitorem e controlem seu paradeiro e comportamento.

Funcionários de saúde pública da Nova Zelândia

O Estado da Nova Zelândia já decidiu retirar as pessoas de suas casas e colocá-las em instalações de quarentena (centros de detenção controlados pelos militares). Com uma população estimada de 5 milhões e apenas 22 supostas mortes por COVID 19 em todo o país (um risco de mortalidade populacional de 0,0004%), e nenhuma morte por quase três meses, claramente essas medidas não são uma resposta a qualquer ameaça genuína do COVID 19 ou de qualquer outro vírus “mortal”..

Ter controle total sobre o teste e a atribuição do status  da  doença confere ao Estado de biossegurança o poder de potencialmente remover e deter seus inimigos políticos e dissidentes sem julgamento. Aqueles encarregados de impor a biossegurança, no “novo normal”, têm exatamente o mesmo grau de poder autoritário que foi investido em violadores de direitos semelhantes, como a Gestapo e a Stasi. A história nos ensinou alguma coisa?

Esta política de quarentena na Nova Zelândia foi projetada para manter o nível elevado de medo e acostumar a população à ditadura do estado. Também parece ser uma provocação que pode encorajar a insurreição e a revolta, depende do gado, ops, do povo. Com o monopólio da violência e do uso da força, levantes violentos invariavelmente beneficiam o Estado autoritário. Isso permite que eles reivindiquem legitimidade para uma  repressão  ainda mais acentuada .

Até agora, a resposta global ao COVID 19 se desviou um pouco do cenário Lockstep sugerido por Rockefeller em seu relatório de 2010Cenários para o Futuro da Tecnologia e Desenvolvimento Internacional . Como o Evento 201, este é outro exemplo da presciência bastante extraordinária das pessoas que formam a política de governança global. Eles podem não apenas prever, em detalhes quase perfeitos, o que a mídia vai “descobrir e relatar”, mas também a própria natureza.

Remover os “infectados” de suas casas e encarcerá-los em centros de detenção reflete a sugestão de política do Dr. Michael Ryan da OMS . Embora a Nova Zelândia seja o primeiro estado nominalmente democrático [depois a Australia] a invadir casas de famílias e remover pessoas à força, certamente não será o último. O Estado do Reino Unido já se atribuiu o poder de fazê-lo nos Regulamentos de Proteção à Saúde (Coronavirus) 2020 .

A atividade econômica mundial será administrada por Estados de biossegurança e baseada em metas de desenvolvimento sustentável. Essa nova economia global planejada de forma centralizada ficará restrita apenas aos negócios permitidos .

Antes de sua saída como governador do Banco da Inglaterra, em sincronia com o Great Reset, Mark Carney alertou que as empresas que não seguirem as políticas de sustentabilidade corretas “irão à falência sem questionamentos”. Em outras palavras, as linhas de crédito, sem as quais os negócios não podem funcionar, ficarão limitadas apenas àqueles que adotarem as políticas aprovadas pelo estado totalitário.

Esta nova economia terá empregos muito limitados. O sucessor de Carney, Andrew Bailey, já afirmou que seria importante não manter as pessoas em “empregos improdutivos” e que as perdas de empregos, como resultado da crise COVID 19, eram inevitáveis . Eles não teriam sido inevitáveis se os Estados globalistas, como o Reino Unido, não tivessem respondido à crise fechando a economia produtiva mundial.

A impressão absurda dos banqueiros e economistas cuidadosamente escolhidos de que o Reino Unido simplesmente se recuperará de uma queda sem precedentes de 20% no PIB é absurda. Com o desemprego  oficial no Reino Unido de 2,7 milhões, mais do que dobrando em um único ano, esses números são apenas a ponta de um iceberg muito grande e ameaçador.

Existem atualmente cerca de 7,8 milhões de trabalhadores britânicos licenciados. Esse esquema deve terminar em alguns meses. A consultoria de gestão McKinsey & Company estima que 7,6 milhões de empregos no Reino Unido estão em risco . Como sempre, isso terá um impacto desproporcional sobre os salários mais baixos, com análises sugerindo que mais de 50% das pessoas em risco de desemprego já estão em empregos que pagam menos de £$ 10 por hora.

Esses são os empregos e meios de subsistência improdutivos dos quais  Bailey quer se livrar. Em toda a Europa e nas Américas, níveis espantosos de desemprego são aparentemente inevitáveis. Não é absurdo imaginar pelo menos 6 milhões de desempregados de longa duração no Reino Unido. Com o mesmo padrão comum a muitas nações desenvolvidas, os impactos sociais, econômicos e de saúde disso estão quase além da compreensão.

Muitos vêm alertando há muito tempo que o preço cobrado pela resposta do Lockdown à suposta pandemia COVID 19 será muito pior do que a própria doença. Essa terrível perspectiva está se tornando cada vez mais aparente.

Não há razão para acreditar nas estatísticas oficiais do COVID 19 do Reino Unido, algo que discutiremos na Parte 2 . No entanto, mesmo se aceitarmos que mais de 41.000 pessoas morreram como resultado direto do COVID 19, esta triste perda provavelmente será relativamente irrelevante em comparação com a perda de vidas como resultado direto da política de bloqueio de Estado do Reino Unido.

É importante reconhecer que a resposta do bloqueio global foi uma escolha política feita para criar a condição econômica para a Grande Restauração. Não era inevitável e não há evidências de que os bloqueios façam qualquer diferença na mortalidade de COVID 19. A Coreia do Sul, o Japão e a Suécia não impuseram bloqueios totais e todos têm melhores resultados COVID 19 que o Reino Unido SEM CAUSAR DESEMPREGO EM MASSA.

Pesquisa do Departamento de Saúde do Reino Unido, do Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS), do Departamento de Atuário do governo e do Ministério do Interior do Reino Unido estima que 200.000 pessoas podem morrer como resultado da reorientação do NHS, para tratar COVID 19 e pouco mais, e dos efeitos econômicos das políticas de bloqueio. Infelizmente, este cenário de “pior caso” parece conservador.

Um exemplo do irrisório “cientificismo” usado para aterrorizar a população, em abril a Universidade de Glasgow  publicou um estudo estimando a média de anos de vida perdidos (YLL) para indivíduos que supostamente morreram de COVID 19. Dizer que essas foram supostas mortes não implica que ninguém morreu de COVID 19, apenas que realmente não temos ideia de quantos foram.

No entanto, usando uma metodologia bastante bizarra, os pesquisadores de Glasgow conseguiram calcular que o YYL médio devido ao COVID 19 era de 13 anos para homens e 11 anos para mulheres. Este estudo foi baseado na análise do surto na Itália, mas foi citado pelo MSM [PRE$$TITUTE] do Reino Unido para assustar os britânicos. Mais de 59% dos supostos falecidos pelo vírus COVID 19 na Itália tinham mais de 80 anos .

A atual expectativa de vida média no Reino Unido  é de 80 anos para homens e 83 anos para mulheres. Quase 60% das pessoas que morreram de COVID 19 no Reino Unido tinham mais de 80 anos e 20% tinham mais de 90 anos. A análise do National Records of Scotland (NRS) mostra que a idade média de morte, supostamente de COVID 19, foi de 81 para homens e 85 para mulheres. Estatisticamente indistinguível de mortalidade normal.

Os pesquisadores da Universidade de Glasgow são financiados pelo Wellcome Trust, que é a fundação filantrópica  isenta de impostos da gigante farmacêutica multinacional GlaxoSmithKline. A Universidade de Glasgow também recebeu bolsas do COVID 19 Therapeutics Accelerator estabelecido pela Wellcome Trust, Mastercard e BMGF.

Não há nada para ver aqui – siga em frente!

O Wellcome Trust e o BMGF querem que o mundo seja vacinado com suas vacinas experimentais COVID 19. Apesar do fato de que décadas de tentativas falharam em produzir uma vacina bem –  sucedida contra a SARS , ou mesmo para qualquer cepa de coronavírus, e que geralmente o desenvolvimento de uma vacina leva pelo menos 10 anos, GSK e o BMGF estão entre aqueles que, por alguma razão aparentemente inexplicável, estão confiantes de que podem produzir uma vacina bem-sucedida para SARS-CoV-2 em questão de meses.

Obviamente, há um enorme conflito de interesses financeiros no centro das afirmações espúrias da Universidade de Glasgow sobre o índice YLL. Apontar esse fato o torna um teórico da conspiração . Embora ignorá-lo exija um grau considerável de credulidade ou uma intenção deliberada de enganar.

Entre 2014 e 2016, a privação econômica e social na Inglaterra foi responsável por uma expectativa de vida reduzida genuinamente alarmante de 9,3 anos (YLL) para homens e, em 2016, encurtou a vida das mulheres em 7,3 anos. A devastação econômica que será gerada pela política de bloqueio totalmente desnecessária do Estado do Reino Unido, e outras, medida em YLL, fará com que os perdidos sejam anões para COVID 19.

Este é o preço que todos nós pagaremos pela determinação da classe parasita de realizar a Grande Restauração e mudar a economia mundial e a sociedade para uma centralmente planejada e totalmente controlada por eles. Atualmente, eles estão gastando bilhões globalmente em propaganda para nos convencer a aceitar seu “novo normal”.

Eles exigem nosso consentimento para que seus planos funcionem. Isso significa que, para destruí-los, tudo o que precisamos fazer é nos recusar a obedecer.  Embora o protesto pacífico seja um importante direito unificador, em última análise, é o que fazemos todos os dias que fará a diferença. Há um autoritarismo fascista desagradável crescendo no Reino Unido e em outros lugares. No entanto, tudo o que precisamos fazer para derrotá-lo é recusar, em massa , seguir suas ordens.

Infelizmente, o Estado do Reino Unido está entre aqueles que estão jogando tudo para nos convencer a acreditar em sua narrativa de propaganda, francamente ridícula e cientificamente analfabeta, do COVID 19. Precisamos apenas ir até o supermercado local e testemunhar a maioria amordaçada usando máscaras e sem rosto para saber que o engano está funcionando.

Estamos diante de uma escolha existencial. Podemos desistir de quaisquer pretensões infantis de que vivemos em uma sociedade democrática livre e aberta que valoriza a liberdade e a pluralidade de opinião e aceitar o domínio ditatorial fascista de um parasita tecnocrático global, ou podemos exercer resistência consciente e nos recusar a cumprir o ordens do Estado.

Na Parte 2 , dissecaremos o mecanismo do esquema fraudulento do Estado do Reino Unido. Embora as políticas de bloqueio tenham origem em nível global, ao observar como o Estado do Reino Unido as implementou e o engano que eles usaram para convencer o público a aceitá-las, a verdadeira natureza da fraude pode ser revelada.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. – Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da BESTA; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis[666]“.  –  Apocalipse 13:16-18


Permite reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmos


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe de sua opinião!

Pesquise por assunto

Postagens mais visitadas do mês.

As postagens mais visitadas do site.